Modelos De Negócios Para Energia Solar

Descubra os modelos de negócios para energia solar

Engenharia de Projetos • abr 12, 2020

 

 

Olá!

Hoje vamos iniciar uma série de 3 posts para falar dos Modelos de Negócios Para Energia Solar. No post de hoje daremos uma breve introdução dos modelos e nos próximos abordaremos cada modelo detalhadamente. Nos acompanhem!

Para quem possui várias propriedades, inclusive em outras cidades, já era possível adquirir um sistema para abater o consumo de todas as suas contas, desde que todas as propriedades estivessem no mesmo CPF ou CNPJ e localizadas na mesma área de concessão da distribuidora de energia (atendida pela mesma distribuidora). Exemplo: se você possui uma residência no litoral do seu estado e outra na capital, é possível instalar um sistema solar em qualquer uma dessas residências e abater o consumo das duas, desde que elas estejam no mesmo CPF ou CNPJ e sejam atendidas pela mesma concessionária de energia (AES Eletropaulo, CEMIG, EDP Bandeirantes, Elektro, CPFL Energia, COPEL etc). Esta modalidade recebe o nome de Autoconsumo remoto.

Atualmente a energia solar fotovoltaica não é mais privilégio apenas para quem mora em residências. De acordo com a Resolução Normativa 482/2012, consumidores que moram ou têm empreendimentos em condomínios horizontais e verticais (edifícios residenciais e comerciais) podem se beneficiar dessa tecnologia através das modalidades Geração compartilhada e Empreendimento com múltiplas unidades consumidoras.

A modalidade Geração compartilhada uni pessoas físicas ou jurídicas que não possuem espaço suficiente para instalação do sistema ou que possuem negócios com vários CNPJs diferentes. Consumidores com CPFs e CNPJs diferentes podem se unir através de cooperativa ou consórcio e também usufruírem da energia solar fotovoltaica. Para que a Geração compartilhada seja caracterizada deve-se instalar um sistema fotovoltaico em um local diferente de onde a energia será compensada, por exemplo em um terreno vazio. Com o sistema fotovoltaico operando basta que a cooperativa ou consórcio defina a cota de crédito para seus integrantes.

Por fim, a modalidade Empreendimento com múltiplas unidades consumidoras. Imagine que você esteja em um condomínio com vários proprietários em uma área comum a todos e essa área seja de responsabilidade do condomínio ou administração. Nesse caso, os créditos de energia gerados podem ser divididos entre os condôminos. Para que isso aconteça basta que, ao instalar o sistema, a distribuidora de energia seja informada sobre as porcentagens que cada um tem direito. A energia excedente nesse caso fica para cada unidade consumidora a que foram destinados.

Nos próximos posts abordaremos detalhadamente cada um dos modelos.

Até lá!

Marcus Hagge

CEO e fundador

ENGENHARIA de PROJETOS

Veja todos os posts desta série:

1. Geração compartilhada

2. Empreendimento com múltiplas unidades consumidoras

3. Autoconsumo remoto

VEJA MAIS POSTS

PortugueseEnglishSpanish
× Entrar em contato